fbpx

Cuidados com novas franquias

Quando alguém está pensando em se tornar franqueado, é comum apegar-se ao sonho de ser “dono do próprio negócio”. As novas franquias potencializam esse sonho, pois costumam apresentar um grande diferencial: o preço.

Mas, infelizmente, é também muito comum observar potenciais franqueados subestimando os riscos e deixando de lado o estudo e análise de documentos importantes.

Você pode não saber ainda, mas em um cenário de prejuízo, é justamente este estudo que poderá fazer toda a diferença.

Investir em um advogado especialista em franquia para estudar esta documentação, sem dúvida alguma, reduz a possibilidade de conflitos futuros. É fácil concluir que essa simples postura pode ensejar a economia de muito dinheiro para o potencial franqueado.

A participação do advogado se torna ainda mais essencial quando o potencial franqueado planeja abrir a franquia em um Shopping Center. O contrato de locação e seus respectivos anexos precisam ser avaliados.

São muitas dúvidas, caminhos possíveis e perguntas, principalmente sobre o tipo de negócio em que se deve investir. O setor está crescendo e não é mais dominado apenas pelos gigantes e marcas extremamente consolidadas e cheias de história. 

A franquia é um modelo de negócio típico (com previsão na legislação – Lei 13.966), porém, muito flexível. Há espaço para o empresário desenvolver um modelo de negócio bem estruturado e de acordo com suas preferência.

Na prática, o mais comum é a microfranquia (franquia de menor porte) e a franquia virtual (sem estrutura física), em razão do baixa taxa de franquia (preço exigido para aquisição da franquia).

cuidados novas franquias

O que é difícil analisar em uma nova franquia?

Vou começar pelo óbvio: a nova franqueadora não tem franqueados antigos ou ex franqueados.

Embora seja óbvio, isso gera um impacto negativo na avaliação do risco desse negócio.

Explico.

O mais importante elemento para saber se uma franquia atua de forma adequada em relação aos franqueados é o dialogo. Mas não é qualquer diálogo. É o diálogo com os próprios franqueados ou ex franqueados.

Sempre que existe algum problema sério na franquia, franqueados e ex franqueados são solícitos e costumam compartilhar a informação com precisão cirúrgica.

Não por outro motivo, a própria lei de franquias determina que a Circular de Oferta de Franquia deve conter o nome completo, o telefone e o endereço dos franqueados e ex franqueados.

Dica: Falamos bastante sobre esse tema em nosso artigo cuidados ao abrir uma franquia. Recomendamos muito a leitura desse artigo que contem informações valiosas para o seu negócio.

Outro problema que surge é a inexistência de balanços.

O art. 2º da Lei 13.966 determina que a COF deve apresentar “balanços e demonstrações financeiras da empresa franqueadora relativos aos dois últimos exercícios“.

Claro que a franqueadora nova não tem como apresentar tais balanços. Isso dificulta a análise econômica e financeira da franquia.

Por fim, destaco outro elemento que ajuda a identificar a franqueadora competente: o selo de excelência em franchising, entregue pela ABF.

Esse selo é obtido a partir da avaliação dos próprios franqueados da marca. Portanto, é fácil concluir que também não vai existir em uma franqueadora nova no mercado.

Como contornar esse problema?

Será preciso extrair a real intenção do franqueador por meio de uma leitura minuciosa da COF e do Contrato.

Há casos em que, com todo respeito, o franqueador parece querer contratar um empregado (e não um franqueado…).

Isso fica evidente na Circular de Oferta a partir da leitura do modelo de negócio e, principalmente, da forma de trabalho e forma de pagamento das taxas do contrato de franquia.

Vale a pena investir em uma franquia nova?  

Um dos principais pontos negativos da marca consolidada é o alto investimento.  A partir de um estudo aprimorado da Circular de Oferta (COF) e do Contrato de uma franquia, é possível fazer um bom negócio ainda que a marca seja pouco conhecida.

Mas muita atenção!

Você precisa considerar que, como expliquei anteriormente, existe uma deficiente muito grande de informações.

Não será possível avaliar a qualidade da franqueadora da mesma forma como avaliamos uma franqueadora que já tem certo tempo no mercado de franquias.

Por isso, entendo que, para valer a pena, o franqueador deve oferecer vantagens ao seu negócio. Por exemplo, taxa de franquia reduzida, isenção de taxa de royalties por determinado período de tempo, dentre outros.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.