fbpx

Franquia de Estética: 5 Dicas Antes de Investir

Aqui, vou esclarecer alguns pontos essenciais para você observar antes de abrir uma franquia de estética.

A análise dos documentos (circular de oferta e contrato de franquia) é o primeiro ponto a ser observado. Claro que recomendamos que um advogado avalie a documentação, já que existem inúmeras questões jurídicas que podem afetar seu futuro.

É o caso, por exemplo, da cláusula de arbitragem que impossibilita você de, no futuro, brigar por alguma coisa na justiça comum.

Porém, alguns pontos podem ser avaliados por você.

A partir de agora, vou esclarecer cada um deles.

 

dicas para franquia de estética

 

Observe o valor dos royalties fixo

Todo modelo de franquia resguarda ao Franqueador a vantagem de sempre ganhar.

Em uma franquia que vende produtos, por exemplo, o Franqueador estabelece Cláusula de Grade Mínima que, em apertada síntese, é uma cláusula que impõe ao Franqueado o dever de comprar uma quantidade mínima de produtos.

Já em uma franquia de serviços, a garantia está no royalties fixo, ou seja, na contraprestação do Franqueado pela exploração do uso da marca e know-how que, neste caso, não tem como parâmetro o faturamento da empresa (por isso royalties fixo…)

Sabendo que o royalties fixo e grade mínima são, sem dúvida alguma, “válvulas” que garantem ao Franqueador sempre ganhar (ainda que o Franqueado perca dinheiro), entendemos que deve o Franqueado dedicar atenção nesse ponto.

 

Consulte antigos franqueados 

O Contrato de Franquia carrega o direito de exploração do know-how, além do direito de exploração da marca e da distribuição exclusiva do serviço.

Como saber se a franquia de fato tem alguma espécie de know-how?

A dificuldade aumenta se a franquia é pioneira neste modelo de negócio.

O know-how, em regra, é materializado por meio da Circula de Oferta de Franquia e dos Manuais. Estes últimos são entregues ao Franqueado após a assinatura do contrato.

Na prática, contudo, não é incomum descobrir que a empresa não apresenta o know-how necessário para o desenvolvimento do negócio.

Por isso, é bastante importante consultar franqueados antigos, cujos dados de contato devem estar obrigatoriamente na COF (Circular de Oferta de Franquia), conforme art. 3ª, inciso IX, da Lei 8.955/94.

 

Estude a Convenção Coletiva da Categoria dos Empregados da Franquia

Existem inúmeros motivos que levam o Franqueador a optar por franquear a marca, fragmentando seu modelo de negócio.

Um dos motivos mais importante é a redução do passivo trabalhista.

Com a franquia, o Franqueador não precisa se preocupar com o custo trabalhista das unidades, já que todos os empregados pertencem ao Franqueado.

Aliás, em uma eventual ação trabalhista do Empregado em face da Franquia, não há como alcançar o Franqueador. Esse ponto já está bastante tranquilo na jurisprudência.

No caso de prestação de serviços que envolve estética, há o SindEstética, Sindicato responsável pela categoria.

A avaliação de um advogado especialista em Direito do Trabalho é muito importante, pois além da lei, é preciso ter acesso a experiência do profissional na área que apontará os problemas mais comuns nesse setor, assumindo postura preventiva imprescindível para o sucesso do negócio.

 

Estude o Posicionamento da Marca na Internet

Uma boa estratégia de marketing é essencial para o sucesso de um negócio dessa espécie.

O Franqueado, ao investir em uma franquia, deve observar o grau de conhecimento da marca, quando comparado com outras do mesmo segmento.

Além disso, é preciso estudar a identidade digital da marca.

Recomendamos que você analise a Fanpage (Facebook) e como a marca aparece no Google (inclusive no Mapa).

Estude, também, a reputação da marca em sites que focam nos consumidores (por exemplo, ReclameAqui).

 

Avalie Como Será Transferido o Know-how

Em uma franquia de estética, o treinamento de funcionários é, sem dúvida alguma, um verdadeiro pilar de sustentação.

O uso incorreto de um instrumento pode, inclusive, gerar dano estético ao consumidor que, na jurisprudência, tem espaço específico dedicado ao tema (Súmula 387 do STJ).

Portanto, o consumidor pode não apenas deixar de frequentar o local, como também, na pior das hipóteses, ajuizar ação indenizatória contra o Franqueado.

O potencial Franqueado, então, precisa entender como será feita a transmissão do conhecimento prático (treinamentos e orientações). Tudo deve estar descrito na Circular de Oferta e no Contrato de Franquia.

Para finalizar, recomendamos a leitura do nosso artigo “como escolher a franquia certa“. Neste artigo, você poderá aprofundar seus conhecimentos em relação a análise técnica de alguns dos principais documentos da franquia.

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.